Ela estava super entediada, as aulas da faculdade haviam acabado mais cedo do que o normal, mas o próximo ônibus só passaria dali a uma hora. Ótima coisa morar em uma cidade e fazer graduação na outra. Se fosse uma ocasião diferente teria ficado feliz em acompanhar a melhor amiga a sorveteria que havia ali perto, no entanto até a garota havia abandonado-a e faltado a aula sem avisar.
– Aquela cadela! – praguejou enquanto deixava o peso de seu corpo recair sobre um banco da pequena pracinha.  Alguns passantes a olharam feio, mas a menina estava muito brava para dar atenção a opinião alheia.
Minutos que mais pareciam horas, devido a ociosidade, se passaram. Ela já estava cogitando ir para a biblioteca ler alguma coisa, mas antes de se levantar algo atingiu sua cabeça. Virou-se para traz, pronta para praguejar  alguma das crianças que vinham jogar bola pelo local no final da tarde, e que perdera a noção do perigo lhe tacando o objeto. Porém quando suas pequenas orbes encontraram a vastidão negra dos olhos do rapaz que lhe sorria travesso, como uma criança de cinco anos pega comendo a sobremesa antes do almoço, todas as blasfêmias que estavam na ponta de sua língua desapareceram.
Ainda com a cara de surpresa ela andou até o garoto, que, ao contrario do que havia pensado, não desapareceu em um piscar de olhos como uma miragem devia fazer. Ela parou a uns trinca centímetros de distancia o que fez o sorriso traquina dele se alargar ainda mais.
– Um ano e você se esqueceu dos amigos?
A pequena frase bastou para despertá-la de seu transe. Ela derrubou o garoto no chão enchendo-lhe de tapas por todos os lugares que alcançava.
– Ai, ta doendo, para! – pediu ele, mas a menina só saiu de cima de céu corpo quando deu-se por satisfeita.
Ele se levantou semicerrando os olhos, fingindo raiva, ela sustentou seu olhar por alguns segundo até que falou:
– Isso foi por ter se mudado sem se despedir. – ralhou botando as mãos na cintura. – E isso... Eu estou pegando de volta.
Ao terminar a frase ela o puxou pela camisa juntando seus lábios aos deles sem um aviso prévio. Exatamente como o rapaz havia feito as vésperas da manhã em que se mudara. 

Por: Priscila M. Santos


5 Comentários

  1. *0*

    Você escreve cada coisa linda ;-;
    Adorei a "mini fic", como você mesma disse :D

    Que Deus abençoe seu dom pra escrever :*

    ResponderExcluir
  2. Omma precisa falar que amou mto isso? Que eu sou fan dos seus escritos é obvio, mas eu adoro o jeito como você escreve, do mesmo jeito que parece uma história única, pode ser a vida de qualquer um....

    Mamis Loves U

    ResponderExcluir
  3. Aishi! brigada flor, mais vc tbm escreve coisas mara! --- Eu quero a fic do SHINee okay?

    ______________

    Omma! A fiote ta tendo surto aqui ao estilo "sou o orgulho da mamis" *apedrejada*
    Adoro quando vc gosta dos meu textos *o*
    O fato é cada um pode viver suas pequenas histórias únicas, isso que deixa fofo o/

    ResponderExcluir
  4. Eu amei!

    Curti que nem senti e adoro quando isso acontece!
    Nem sei mais o que dizer porque tipo tudo se resume em: Cara, eu adorei isso!

    Parabéns Dong! ♥

    Kisu~ :*

    ResponderExcluir
  5. Unnie *pula e abraça*
    Que bom que a leitura foi tranquila
    kkk um "cara, eu adorei isso" de vindo de você ja me deixa mega happy!
    *hug*

    ResponderExcluir