.



Amor, ódio, risadas, vergonha alheia, vontade de socar, risos, lágrimas, volúpia... poderia ficar aqui mais uns bons minutos jogando palavras que descreveriam ‘Contato Imediato’, o qual eu acabei de ler e estou me perguntando seriamente quanto tempo vou conseguir ficar sem surtar implorando pelo próximo livro. Mas vamos ao que interessa a história...
Bem, CI conta as aventuras e desventuras de duas amigas Emma e Quenny. A primeira é aquele tipo de garota racional, que tenta manter suas emoções trancandinhas em seu interior, seu foco é o lado prático e explicável da vida. Ou pelo menos ela tenta. Já Quenny é o oposto, sonhadora, destrambelhada, engraçada, que vive falando coisas indevidas nos momentos mais inoportunos possíveis e que claro tem uma completa paixão pelas Estrelas e tudo relacionado ao espaço. E sempre arrasta Emma para uma roubada estelar. E é justamente numa dessas que elas acabam indo parar justamente onde a nave de Hunter e Caleb – gostosos e sedução que vão lhe tirar vários suspiros e outras coisinhas mais... – cai. Depois disso por alguns motivos elas se veem obrigadas - mais a Emma do que a Quenny, diga-se de passagem - a ajudar os dois a se esconderem e cruzar o pais para chegarem até a nave mãe e poderem ir pra casa. Mas... como toda boa história precisa de um drama... Além da CIA e uma outra subdivisão destas estarem atrás deles, elas ainda se apaixonam pelos dois. 
O problema nisso, é que além do óbvio, Hunter é um arrogante, presunçoso, metido, filho de uma vadia de esquina estelar – pra dizer o mínimo – que vive pra irritar Emma e tentar tirar ela do modo robô racional dela. E é claro que ele consegue, faz isso tão bem que te leva a ficar puta junto com a Emma e querer dar uns belos golpes no meio daquela cara e quebrar os dentes daquele sorriso sedutor presunçoso dele. Ele faz de tudo pra infernizar a vida da garota, e quando não está fazendo isso ele passa o tempo seduzindo-a (e os leitores juntos), fazendo com que ela perca a pouca sanidade que lhe restou desde que conheceu ele. Pandemônio sentimental define esses dois. Porém, mesmo com todas as diferenças, implicâncias, e tudo que tem direito é justamente juntos que eles passam a conhecer melhor um pouco de si mesmos. Mostrando um lado apaixonado, envolvente, passional e intenso dos dois. Nãos sei vocês mais eu amo couples que vivem 'entre tapas e beijos'.
Em contra partida tempos Caleb, o alien mais fofo que você pode imaginar, e que se encaixa perfeitamente a personalidade de Queeny, que se torna ainda mais esfuziante e surtada com a presença do gato, rendendo ótimas risadas por alguns comentários descabidos, (uma dica, cuidado se tiver bebendo algo quando for ler, me engasguei lindamente por causa do 'Chocolate ou mentolada?' ~~ leiam que vocês entenderam). Além do mais esses dois vão lhe fazer ter muitos ataques de fofura pela inteiração adoravel deles e claro lágrimas pela profundidade do amor de ambos. É aquele casal que você se apaixona, e quer que tudo que possa dar centro entre eles acontece apenas pra recompensar lhes o coração enorme dos dois. E esse é justamente o pensamento de Emma, que por vezes guarda suas próprias dores apenas para ver a amiga feliz, tal e qual Quenny faria por ela.
Não sei mais o que comentar sobre CI, me apaixonei pela história e pelo tema inovador, e pelo modo como a Elle trabalhou com os personagens, me fazendo morrer de vez naquele final, com vários POV e aquela carta que me desarmou totalmente. Identifiquei-me muito com a própria Emma e sua tentativa de parecer forte mesmo que as vezes falha quando o seu mundo estava desmoronando. E me perdi imaginando o Hunter numa mistura que nem da pra explicar o porque ou como de Lee MinHo, Jang KeunSuk e Bu Po Shang, me fazendo surtar de todos os jeitos, e de uma forma que só deus sabe – e deve estar me condenando pelos pensamentos pecaminosos.

P.S. Eu sei que isso tá mais pra surto do que uma ‘resenha’ mas eu precisava desabafar em algum lugar.

P.S.2: Por motivos de relacionamentos bizarros acabei me viciando em ler CI ouvindo  I Won't Give Up e Who's Thinking About You Now? que na  minha opinião combinam super bem /apanha... o problema é que na hora do choro você desmorona ainda mais.


Deixe um comentário