masquerade woman

Uma das minhas professoras resolveu fazer uma dinâmica em que escrevíamos um de nossos problemas em uma folha em branco, entregávamos pra ela e essa redistribuía, para que assim outra respondesse ao desatino alheio. O mais legal é que no fim das contas algumas pessoas acabaram com mais de um problema resolvido, já que se identificar com algum outro que não foi escrito no papel era fácil.
Enfim, além de frisar o fato de que todo mundo tem problemas ela levantou um pensamento que por vezes esquecemos, até eu mesma, o que é irônico. Vemos alguém sorrindo diariamente, ou recebemos uma má resposta inesperada, ou ainda, por vezes convivemos com pessoas que estão totalmente sem paciência. A pessoa em questão pode adotar essa postura em reação a seus problemas que nós nem imaginamos, e por vezes nossa própria atitude para com ela “corta” a liberdade do outro em pedir uma opinião. Nessa ultima parte eu realmente não estava muito ligada... agora fico me perguntando quantas vezes posso ter deixado de escutar e ajudar alguém... talvez muitas, talvez  não... enfim, vou tentar prestar mais atenção nisso.
No final das  contas o melhor de tudo foi poder desabafar e ouvir alguém de fora.  Queria fazer isso mais vezes. 


Deixe um comentário